Seja bem vindo, mas não pise na grama

Não espero comentários, mas serão todos bem vindos para falar...

quinta-feira, setembro 18, 2008

Brincava a criança - Fernando Pessoa


Brincava a criança
Brincava a criança
Com um carro de bois.
Sentiu-se brincado
E disse, eu sou dois !

Há um brincar
E há outro a saber,
Um vê-me a brincar
E outro vê-me a ver.

Estou atrás de mim
Mas se volto a cabeça
Não era o que eu qu'ria
A volta só é essa...

O outro menino
Não tem pés nem mãos
Nem é pequenino
Não tem mãe ou irmãos.

E havia comigo
Por trás de onde eu estou,
Mas se volto a cabeça
Já não sei o que sou.

E o tal que eu cá tenho
E sente comigo,
Nem pai, nem padrinho,
Nem corpo ou amigo,

Tem alma cá dentro
'Stá a ver-me sem ver,
E o carro de bois
Começa a parecer.

quarta-feira, setembro 17, 2008

Frustrante


Sentei em frente ao pc hoje com verdadeira vontade de escrever. Queria, ao ligar o computador, atualizar esse meio de arte que é meu blog, mas... não consegui escrever nada que prestasse. Acreditam?
Claro, eu não sou nenhum Machado de Assis, mas dou minhas canivetadas.
Queria ter a imaginação e a intensidade de Machado ou então quem sabe a força da palavra de Alencar, e aquele campo sagrado de imaginação que é a sua narrativa. Mas, no entanto, minha mente, no momento, está tão seca quanto um deserto infrutífero. Poesias, crônicas, contos... nada. Não sou capaz de uma linha de boa vontade, venham meus dias de primavera, onde soavam fortes e compassadas as badaladas de insanidade que me faziam estremecer e enternecer ao escrever no papel o que meu coração e minha alma mandavam. Venham a mim as meninas dos meus olhos que se cansaram de brincar de esconder atrás de minhas pálpebras insuspeitas.
Queria escrever sobre a noite, o dia, a aurora... os pássaros... mas infelizmente, minha inspiração se foi, e não manda notícias do lugar longinquo onde foi parar...
Queria ser um Machado, para cortar sem medo a gramática e a literatura e fazer luzir minha mente como os raios de uma tempestade...
Mas... ultimamente, a única luz que visualiso é a da tela em branco de um computador...zumbindo, escarnecendo de minha falta de tato, da minha falta de imaginação.


R.G.Pfarrius

terça-feira, setembro 09, 2008

Quanto tempo!


Nossa! Fazia tempos que não aparecia por aqui, não?
Eu sei, na verdade faz um tempinho que ando longe de mim mesmo. Como costumo dizer para os amigos, colegas e familiares, ando meio em "slow motion", quase em "stand-by".
Sabe quando você sente que a terra gira, mas você não acompanha? Pois é exatamente assim que estou me sentindo. Tenho parado muito para observar a minha vida, tudo nos conformes, como deveria ser, e mesmo assim esse sentimento de não-deslocamento.
Me sinto como uma música do Caetano, bem devagar, dedilhada...suave.
Isso que acabo de escrever é pouco, mas é o que meu cérebro consegue processar... quem sabe um up-grade, aumentar a capacidade do hard-drive... uma recauchutada geral no sistema dê jeito no problema, pois ainda não inventaram uma injeção de ânimo que funcione de verdade.
Quanto mais tempo tenho, menos quero andar, e quando pouco tempo tenho, quero chegar lá.
Mas o tempo é inefável.

R.G.Pfarrius

quarta-feira, agosto 20, 2008

Chuva


Essa noite o céu desabou! Não, nada de ruim aconteceu na minha vida, ou na de parentes. Simplesmente o céu desabou na forma da uma chuva torrencial que me acordou na madrugada. Raios, trovões e lufadas de vendo estrondosas faziam festa na rua enquanto eu tentava dormir, sem sucesso.
Chuva é bom, ajuda na agricultura, dá de beber pra muita gente e ,num finzinho de domingo, é maravilhosa para dormir. Mas a dessa noite me assustou.
Não que eu estivesse com medo que a casa caísse ou algo parecido, mas vez em quando, eu tenho medo da natureza, pois, no fim das contas é essa Velha senhora que manda na gente. Se ela embestar que você não vai sair de casa hoje, você não vai sair, e não há guarda-chuva que diga o contrário, pois você, como todas as pessoas, sabe que a qualidade de um guarda-chuva só é realmente testada num vento forte.
Raulzito já dizia: "a chuva é minha amiga", e eu respeito essa grande amiga e temo.
Tenho medo da chuva, e ainda me acordo de madrugada assustado como um menino de 4 anos. Apesar que, quando tinha 4 anos, a chuva não me encomodava, pelo contrário, eu até gostava.

R.G.Pfarrius

quinta-feira, agosto 14, 2008

Quando dói

Na verdade, na falta do que escrever aqui, e sentindo a falta real da minha inspiração que está longe, vou postar uma resposta a uma pergunta feita no Blog de minha grande amiga Debby King:

A pergunta era: Por que só percebemos o nosso poder de sentir quando dói???

Minha resposta foi: "só sentimos realmente quando dói, pq durante a jornada não prestamos atenção às feridas, essas diante do êxtase são apenas amenidades, mas diante do iminente fim, da sofreguidão, essas tomam forma e ferem, e machucam, e pra valer. Meu conselho? Não tenho nenhum, só quem sente sabe, e só quem sabe pode descobrir um jeito de curar ou mesmo esquecer que dói, mas na verdade, por mais ínfima que seja a dor, ela persegue, atiça, embota, como se queimasse quando deveria aliviar."


Nada poético, nada fenomenal, uma simples resposta para uma pergunta inusitada, falta de inspiração ou não, palavras são palavras, não importa onde escritas ou lidas, o que realmente importa é o sentimento de quem as lê e a consequência de sua leitura!!!

Até mais!

terça-feira, agosto 12, 2008

Teto Branco


Tem horas na vida que tudo parece estar andando mais rápido do que realmente deveria ser, os dias são mais curtos e as noites mais longas, e tirando o fato de que você não vive no Alaska, isso não deveria acontecer.
É, a vida uma hora parece ser um grande filme do Hicthcock, mas tem horas que ela é digna do Spillberg, muita ação, efeitos especiais, mas nenhum conteúdo. Então acordamos todos os dias olhando para um teto branco (ou azul, verde, vermelho, tanto faz...) escovamos os dentes, que por mais brancos e limpos que estejam, não vão esconder o sorriso amarelo que você vai dar para o primeiro infeliz que te der bom dia, e encara o dia de frente, ou mesmo de lado.
E o que você pode fazer para que o dia fique melhor? Eu te respondo, Nada!!! Absoluta e incisivamente, NADA! Nessas horas, o bom mesmo é se entrincheirar em baixo das cobertas e ficar por lá mesmo, fingindo que o mundo acabou.
Quer minha opinião? Coma, coma com muita vontade e sem distinção de cores nem sabores. Um chocolate quente vai bem no frio, sorvete no calor... tanto faz! O importante mesmo é dar vazão ao bicho glutão que está em você, esqueça as dietas, esqueça o corpo da Giselle Bundchen, pois até a Britney Spears já esqueceu disso um dia.
Ou então vá torcer para o Brasil nas olimpíadas, mesmo que não adiante nada, você torcer pro Tiago Camilo acertar um Ypon no Japonês ou torcer pra que o dia acabe neste exato minuto, isso não depende mesmo de você, é tudo parte de um plano maior, inefável, que por mais que você pense, não foi feito para estragar o seu dia!
Portanto, não se entristeça se o seu dia passa devagar e modorrento, pachorrentamente falando, ele sempre passa assim... todos os dias da sua vida. Se você passar ele inteiramente, dentro do seu quarto com medo do mundo, o máximo que vai acontecer é ter que encarar ele amanhã de manhã, mas só depois de encarar o seu teto branco.

R.G. Pfarrius

quinta-feira, julho 03, 2008

Ave libertas

Sem palavras!

Ave libertas


Ao clarão irial da madrugada,
Da liberdade ao toque alvissareiro,
Banhou-se o coração do Brasileiro
Num eflúvio de luz auroreada.


É que baqueia a vida escravizada!
Já se ouvem os clangores do pregoeiro,
Como um Tritão, levando ao mundo inteiro
Da República a nova sublimada.


E ali, do despotismo entre os escombros,
Rola um drama que a Pátria exalça e doura
Numa auréola de paz imorredoura,
A República rola-lhe nos ombros;


Enquanto fora na trevosa agrura
Sucumbe o servilismo, e, esplendorosa,
A Liberdade assoma majestosa,
- Estrela d’Alva imaculada e pura!


É livre a Pátria outrora opressa e exangue!
Esse labéu que mancha a glória pública,
Que apouca o triunfo e que se chama sangue,
Manchar não pôde as aras da República.


Não! Que esse ideal puro, risonho,
Há de transpor sereno os penetrais
Da Pátria, e há de elevar-se neste sonho
Ao topo azul das Glórias Imortais!


Esplende, pois, oh! Redentora d’alma,
Oh! Liberdade, essa bendita e branca
Luz que os negrores da opressão espanca,
Essa luz etereal bendita e calma.


Vós, oh Pátria, fazei que destes brilhos,
Caia do Santuário lá da História,
Fulgente do valor da vossa glória,
A Bênção do valor dos vossos filhos!

quarta-feira, julho 02, 2008

A bunda dura

Bunda Dura? Éca! hahahaha

A BUNDA DURA

Tenho horror a mulher perfeitinha.
Sabe aquele tipo que faz escova toda manhã, tá sempre na moda e é tão sorridente que parece garota-propaganda de processo de clareamento dentário?
E, só pra piorar, tem a bunda dura!? Pois então, mulheres assim são um porre. Pior: são brochantes. Sou louco? Então tá, mas posso provar a minha tese. Quer ver?
a - ESCOVA TODA MANHÃ: A fulana acorda as seis da matina pra deixar o cabelo parecido com o da Patrícia de Sabrit. Perde momentos imprescindíveis de rolamento na cama, encoxamento do namorado, pegação, pra encaixar- se no Padrão "Alisabel é que é legal". Burra.
b - NA MODA: Estilo pessoal, pra ela, é o que aparece nos anúncios da Elle do mês. Você vê-la de shortinho, camiseta surrada e cabelo preso? JAMAIS. O que indica uma coisa: ela não vai querer ficar"desarrumada" nem enquanto tiver transando. É capaz até de fazer pose em busca do melhor ângulo perante o espelho do quarto. Credo.
c - SORRISO INCESSANTE: Ela mora na vila do Smurfs? Tá fazendo treinamento pra Hebe? Sou antipática com orgulho - só sorrio para quem provoca meu sorriso. Não gostou? Problema seu. Isso se chama autenticidade, meu caro. Coisa que, pra perfeitinha, não existe. Aliás ela nem sabe o que a palavra significa, coitada.
d - BUNDA DURA: As muito gostosas são muito chatas. Pra manter aquele corpão, comem alface e tomam isotônico (isso quando não enfiam o dedo na garganta pra se livrar das 2 calorias que ingeriram), portanto não vão acompanhá-lo nos pasteizinhos nem na porção de bolinho de arroz do sabadão.
Bebida dá barriga e ela tem HORROR a qualquer carninha saindo da calça de cintura tão baixa que o cós acaba onde começa a pornografia: nada de tomar um bom vinho com você. Cerveja? Esquece! Melhor convidar o Jorjão.
Pois é, ela é um tesão. Mas não curte sexo porque desglamouriza, se veste feito um manequim de vitrine do Iguatemi, acha inadmissível você apalpar a bunda dela em público, nunca toma porre e só sabe contar até quinze, que é até onde chega a seqüência de bíceps e tríceps.
Que beleza de mulher. E você reparou naquela bunda? Meu Deus...
Legal mesmo é mulher de verdade. E daí se ela tem celulite? O senso de humor compensa. Pode ter uns quilinhos a mais, mas é uma ótima companheira de bebedeira.
Pode até ser meio mal educada quando você larga a cueca no meio da sala, mas adora sexo. Porque celulite, gordurinhas e desorganização têm solução (e, às vezes, nem chegam a ser um problema).
Mas ainda não criaram um remédio pra futilidade. Nem pra dela, nem pra sua.


Arnaldo Jabor

terça-feira, junho 24, 2008

Pessoa


AUTOPSICOGRAFIA

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração


Fernando Pessoa

sexta-feira, junho 20, 2008

Drummond

"O amor não se retém por uma pedra em seu caminho, pois ele é o próprio caminho das pedras"

R.G.Pfarrius

Ao Amor Antigo


O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige nem pede. Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.

O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.

Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi grande e deslumbrante
a antigo amor, porém, nunca fenecee
a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mas pobre de esperança.Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro
tanto mais velho quanto mais amor.


Carlos Drummond de Andrade

quinta-feira, junho 19, 2008

Super-Heróis

Um herói fora da lei e fora do tempo, um verdadeiro cowboy da música, cheio de mágica e poesia em todos os sentidos... um ser humano conturbado e diferente, que mesmo depois de anos de distânciamente ainda causa saudade no coração da gente!

R.G. Pfarrius

Super-Heróis


Hoje é segunda-feira e decretamos feriado
Chamei Dom Paulo Coelho e saímos lado e lado
Lá na esquina da Augusta quando cruza com a Ouvidor
Não é que eu vi o Sílvio Santos
Sorrindo aquele riso franco e puro para um filme de terror
Como é que eu posso ler se eu não consigo
concentrar minha atenção
Se o que me preocupa no banheiro, ou no trabalho é a seleção
(Vê se tem Kung Fu aí em outra estação)

Já na outra esquina
Dei três vivas ao rei Faiçal
O povo confundiu pensando que era o carnaval
Então eu disse a Dom Paulete: eu conheço aquele ali
Não é possível, dom Raulzito
Quem que no Brasil não reconhece o grande
trunfo do xadrez
Saí pela tangente disfarçando uma possível
estupidez
Corri para um cantinho pra dali sacar o lance de
mansinho
(adivinha quem era? Mequinho!)

Lá em Nova York todo mundo é feliz
Vi o Marlon dançando o último tango de Paris
Pedi cerveja e convenci o garçom do botequim
A não pagar o tal do casco
Ele aceitou pois sou um astro!
E duma cobertura no Leblon
Pelé acena dando aquela
Enquanto o povo embaixo grita: É o Rei,
Pelé despenca da janela
É quando, a 120, o Fittipaldi passa e quem ele atropela
(Meu Deus! Mequinho no chão, mais três velas)

Vamos dar viva aos grandes heróis
Vamos em frente, bravos cowboys
Avante! Avante! Super-Heróis
Ai-oh Silver!
Shazan

terça-feira, junho 17, 2008

BILHETE

"Os gênios não são reconhecidos por sua sagacidade ou poder... e sim por sua capacidade de tocar o coração humano!" - R.G.Pfarrius

E, por mais incrível que pareça...poucos tem sensibilidade e tato para entender essa capacidade...

Bilhete

Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...


Mario Quintana


quinta-feira, junho 12, 2008

Pra você Amor!



Dia dos namorados, dia de São Valentin, Valentine's Day. São tantos nomes para dizer a mesma coisa.
É um dia especial, mesmo sendo um dia normal, entende?
Não é feriado, nem dia santo, mas como o natal, traz lembranças, e saudades. É nessas horas que a gente lembra do primeiro beijo, mas não o primeiro beijo que você deu na sua vida, o primeiro de verdade, pra valer, aquele que começou a história, a jornada. O meu foi em frente à casa dela, e desde lá são quase 6 anos de felicidade, contratempos, brigas, beijos, beijos e mais contratempos.É nessas horas que você lembra da primeira briga, aquela que acabou com a tua paz de espírito.
É a vida, flores e espinhos, mas principalmente flores, amores e o perfume... ah, o perfume!
É num dia como esse que todas as boas lembranças passam à frente das ruins, apagando o passado. pensamos no futuro, com os pés no presente e, acima de tudo, pensamos no que sentimos, no quanto sentimos, no quanto amamos e, ainda mais, na falta que faz aquele corpo lindo ao teu lado na cama e o sorriso maroto, aqueles olhos inquisidores e maravilhosos que me inebriam e convencem, e vencem.
É num dia como esse que temos certeza do que fazemos, temos certeza de nossas escolhas e acima de tudo, de todas as coisas, sabemos bem lá no fundo que somos amados.
Ah! Não é necessário dizer aqui o tamanho do amor que sinto dentro de mim, da maneira como ele transborda do meu ser como uma aura iluminada que ultrapassa a carapaça e sai pra fora para espreitar o mundo.
Agora estamos longe um do outro, espero que por pouco tempo, estamos juntos, mesmo longe, pois, maior do que a distância, é o laço que nos une. Mais que amor, mais que esperança, mais que carinho, é puro sentimento, pura nitroglicerina. Pega fogo!
Não são muitas palavras, nem tão belas, essas que escrevo. mas saíram do meu coração, e lá ainda estão instaladas.
Ela é minha mulher, amante, amiga, companheira, confidente, amante (e como!), minha namorada, meu amor.
Pra você amor, feliz dia dos namorados!

Te amo Lu!
Rafa

segunda-feira, junho 02, 2008

Anda na linha!!

Anda na linha!!

Algumas pessoas me dizem: Cara! Anda na linha!
Que linha é essa a que todos devem seguir? A linha dos meus pensamentos? Se for essa, ihhh! Hoje em dia tá difícil. Ando na linha sim, mas faço as retas se retorserem de vez em quando, afinal ninguém anda reto por muito tempo, não é?
As vezes penso em estudar... mas dá aquela preguiça, aquela... que é digna de qualquer baiano, aquela gostosa digna de rede e tudo... na falta de uma rede para a mente, um bom livro serve, mas não um que tenha muitas reviravoltas, esses cansam a mente do vivente, essas nem pensar. Prefiro um Paulo Coelho nessas horas. Nada tenho contra o Paulo, muito em contrário, o tenho em mais alta conta, ou tinha até ele falar do Raul, daí caiu um pouquinho, só um poquinho. Pensar é um exercício, dos mais cansativos, não é? Não me admira que muitas pessoas se abstenham desse desafio, pensar virou uma atitude perigosa por aí, vai que você tem uma idéia... e aí? O que você vai fazer? E vai que ela é boa? Bah, daí a coisa fica pior ainda. As pessoas apontam você na rua: "Olha alí mãe! Alí vai um ser pensante!", ah! Se fosse mesmo assim.
Você anda na linha? Nem eu, eu ando em círculos, volto de vez em quando donde partí, pois é bom voltar às orígen vez em quando. Porquê? Oras, por que sim! É bom ver por onde você começou, uma vez que você está longe de chegar em algum lugar, ou mesmo que já tenha chegado... o gostinho que dá é ótimo... você devia experimentar uma vez ou outra, eu recomendo.
Ande na linha e quem sabe pode acabar no fim da estrada, ou caindo do planeta! Quem sabe?

R.G. Pfarrius

quarta-feira, maio 28, 2008

Esperança


Esperança


Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

Mário Quintana

quinta-feira, maio 22, 2008

Barriga é barriga

Cara...cada vez mais eu admiro esse homem!!!

Barriga é barriga

Barriga é barriga, peito é peito e tudo mais.
Confesso que tive agradável surpresa ao ver Chico Anísio no programa do Jô, dizendo que o exercício físico é o primeiro passo para a morte.
Depois de chamar a atenção para o fato de que raramente se conhece um atleta que tenha chegado aos 80 anos e citar personalidades longevas que nunca fizeram ginástica ou exercício - entre elas o jurista e jornalista Barbosa Lima Sobrinho - mas chegou à idade centenária, o humorista arrematou com um exemplo da fauna, a tartaruga com toda aquela lerdeza, vive 300 anos. Você conhece algum coelho que tenha vivido15 anos?
Gostaria de contribuir com outro exemplo, o de Dorival Caymmi. O letrista, compositor e intérprete baiano é conhecido como pai da preguiça. Passa 4/5 do dia deitado numa rede, bebendo, fumando e mastigando. Autêntico marcha-lenta, leva 10 segundos para percorrer um espaço de três metros.
Pois mesmo assim e sem jamais ter feito exercício físico, completou 90 anos e nada indica que vá morrer tão cedo.

Conclusão: Esteira, caminhada, aeróbica, musculação, academia? Sai dessa enquanto você ainda tem saúde... !!!!! E viva o sedentarismo ocioso!!!
Não fique chateado se você passar a vida inteira gordo.Você terá toda eternidade para ser só osso!!! Então: NÃO FAÇA MAIS DIETA!! Afinal, a baleia bebe só água, só come peixe, faz natação o dia inteiro, e é GORDA!!! VIVA A BATATA FRITA E O CHOPP!!!
Você tem pneus??? Lógico, todo avião tem!!

Arnaldo Jabour

terça-feira, maio 20, 2008

Ciclos...


Na vida há ciclos, estes acabam uma hora ou outra e, infelizmente, não há nada que possamos fazer. Alguns deixam boas lembranças, outros nem tanto, mas todos tem seus momentos bons, todos deixam uma sementinha de saudade no coração.
Quando era mais novo, estudei em uma escola, ensino fundamental, e essa foi a época mais maravilhosa da minha vida. Era um menino, sem preocupações, sem pensamentos obscuros ou mesmo muito tristes... participei da banda da escola, três vezes... eu não durava muito lá, mas mesmo assim valeu a pena. Saudades dessa época.
A adolescência, ah época diferente, voz grossa e fina...espinhas demais e responsabilidades de menos... teatro, meninas... época boa!
Agora sou adulto, ou deveria ser, ao menos dizem isso... a toda hora. Quero ser homem de família, e sou, na verdade me tornei essa divindade, é o que esperam de mim!
Queria voltar a jogar pelada até tarde... ficar de castigo, pois, ficar de castigo agora, não dá mais... não pega bem para um homem de família! Ao menos coisas muito boas vem com essas reponsabilidades... o amor, esse não é mais aquela coisa de menino, nada mais de beijos atrás da escola, agora é a coisa real com toda a sua magnitude e todos os seus problemas... mas estes são insignificantes perto dos da adolescência... esses são nada.
A vida tem seus ciclos, e estes me deixam feliz e triste, mas mesmo que passem rápido deixam lembranças e e saudades. Essas eu guardo no coração e na alma... bem fundo para que não fujam!


R.G. Pfarrius

quarta-feira, maio 14, 2008

Estamos com fome de amor

Estamos com fome de amor

Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas e saem sozinhas. Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos.
Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos "personal dance", incrível. E não é só sexo não, se fosse, era resolvido fácil, alguém duvída? Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão "apenas" dormir abraçados, sabe essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega. Pode fazer tudo, desde que não interrompa a
carreira, a produção. Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a "sentir", só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão
distante de nós.
Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada no site de relacionamentos ORKUT, o número que comunidades como: "Quero um amor pra vida toda!", "Eu sou pra casar!" até a desesperançada "Nasci pra ser sozinho!" Unindo milhares ou melhor milhões de solitários em
meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos,plásticos, quase etéreos e inacessíveis.
Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa.
Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio,
démodé, brega. Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados, e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, "pague mico", saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso à dois.
Quem disse que ser adulto é ser ranzinza, um ditado tibetano diz que se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele ? Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é 'out",
que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: "vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida".

Antes idiota que infeliz!

Arnaldo Jabour

segunda-feira, maio 12, 2008

Somente humano


Ainda não aprendi a ser gente, nada de mentiras pra mim, nada de enganações nem intrigas, pra mim é tudo preto no branco, sem essa de vidas ocultas!
Depois dessa sensação que é viver tresloucadamente as pessoas deram para ter vontade de provar tudo, um perigo!
Gostaria de provar um sorvete bem gelado numa tarde de calor, mas não queria a sensação de perder, de lutar e ser derrotado. Essa mania de tudo provar acaba por iludir, enganar, culmina numa pre-satisfação iludida, desenterra medos que há muito varremos para baixo do tapete. E por que?
Por que ter de tudo provar e acabar se machucando nesse caminho? Será que não temos medo de não gostar? De sentir que, na verdade, nada daquilo valeu a pena? Dessas dores nada entendo, ou será que entendo? Serpa que já sentimos dores suficientes para amadurecer e aprender a não desejar mais?
Mesmo assim desejamos, queremos, ansiamos - nessa maneira louca de sempre esperar que o amanhã chegue hoje - e não nos saciamos com o pouco que temos, queremos provar... mais e mais, o bem e o mal, o bom e o ruim... as trevas e a luz. Temos que chafurdar na lama para descobrir o gosto da água, temos que tatear pela escuridão para dar valor a luz.
Temos que sempre provar, tocar, arranhar... chegar perto, por mais perigoso que pareça... Fazemos isso, não por curiosidade, não por cobiça ou mesmo estupidez.
Fazemos isso porque somos humanos!

R.G. Pfarrius

terça-feira, maio 06, 2008

Filtro Solar


Pois é, ele escreve, e escreveu muito bem quando descreveu esses momentos.


Filtro solar!
Nunca deixem de usar o filtro solar
Se eu pudesse dar só uma dica sobre o futuro
seria esta: usem o filtro solar!
Os benefícios a longo prazo do uso de Filtro Solar
estão provados e comprovados pela ciência,
Já o resto de meus conselhos não tem outra base
confiável além de minha própria experiência errante.
Mas agora eu vou compartilhar esses conselhos com
vocês...

Aproveite bem, o máximo que puder, o poder e a beleza
da juventude. Ou, então, esquece... Você nunca vai entender mesmo o
poder e a beleza da juventude até que tenham se apagado.
Mas pode crer que daqui a vinte anos você vai evocar
as suas fotos,
E perceber de um jeito que você nem desconfia hoje em
dia,
Quantas, tantas alternativas se escancaravam a sua
frente.
E como você realmente estava com tudo em cima,
Você não está gordo ou gorda...

Não se preocupe com o futuro.
Ou então preocupe-se, se quiser, mas saiba que
pré-ocupação é tão eficaz quanto mascar chiclete para
tentar resolver uma equação de álgebra.
As encrencas de verdade em sua vida tendem a vir de
coisas que nunca passaram pela sua cabeça preocupada,
E te pegam no ponto fraco às 4 da tarde de uma
terça-feira modorrenta.

Todo dia, enfrente pelo menos uma coisa que te meta
medo de verdade.

Cante.

Não seja leviano com o coração dos outros.
Não ature gente de coração leviano.
Use fio dental.

Não perca tempo com inveja.
Às vezes se está por cima,
às vezes por baixo.
A peleja é longa e, no fim,
é só você contra você mesmo.

Não esqueça os elogios que receber.
Esqueça as ofensas.
Se conseguir isso, me ensine.
Guarde as antigas cartas de amor.
Jogue fora os extratos bancários velhos.

Estique-se.

Não se sinta culpado por não saber o que fazer da
vida
As pessoas mais interessantes que eu conheço não
sabiam, aos vinte e dois o que queriam fazer da vida.
Alguns dos quarentões mais interessantes que eu
conheço ainda não sabem.

Tome bastante cálcio.
Seja cuidadoso com os joelhos.
Você vai sentir falta deles.

Talvez você case, talvez não.
Talvez tenha filhos, talvez não.
Talvez se divorcie aos quarenta, talvez dance ciranda
em suas bodas de diamante.

Faça o que fizer não se auto congratule demais, nem
seja severo demais com você,
As suas escolhas tem sempre metade das chances de dar
certo,
É assim para todo mundo.
Desfrute de seu corpo use-o de toda maneira que puder,
mesmo!!
Não tenha medo de seu corpo ou do que as outras
pessoas possam achar dele,
É o mais incrível instrumento que você jamais vai
possuir.

Dance.
Mesmo que não tenha aonde além de seu próprio quarto.
Leia as instruções mesmo que não vá segui-las depois.
Não leia revistas de beleza, elas só vão fazer você se achar feio

Dedique-se a conhecer seus pais. É impossível prever
quando eles terão ido embora, de vez.
Seja legal com seus irmãos. Eles são a melhor ponte
com o seu passado e possivelmente quem vai sempre mesmo te apoiar no futuro.

Entenda que amigos vão e vem, mas nunca abra mão de
uns poucos e bons.
Esforce-se de verdade para diminuir as distâncias
geográficas e de estilos de vida, porque quanto mais
velho você ficar,
Mais você vai precisar das pessoas que você conheceu
quando jovem.

More uma vez em Nova York, mas vá embora antes de
endurecer.
More uma vez no Havaí, mas se mande antes de
amolecer.

Viaje.

Aceite certas verdades inescapáveis:
Os preços vão subir, os políticos vão saracotear, você
também vai envelhecer.
E quando isso acontecer você vai fantasiar que quando
era jovem os preços eram razoáveis, os políticos eram
decentes,
E as crianças respeitavam os mais velhos.
Respeite os mais velhos!!
E não espere que ninguém segure a sua barra.
Talvez você arrume uma boa aposentadoria privada.
Talvez você case com um bom partido, mas não esqueça
que um dos dois de repente pode acabar.
Não mexa demais nos cabelos se não quando você chegar
aos 40 vai aparentar 85.

Cuidado com os conselhos que comprar,
mas seja paciente com aqueles que os oferecem.
Conselho é uma forma de nostalgia.
Compartilhar conselhos é um jeito de pescar o passado
do lixo, esfregá-lo, repintar as partes feias e reciclar tudo por mais do
que vale.

Mas, no filtro solar, acredite.


Pedro Bial

Porque não?

Uma hora você percebe o prazer das coisas. Um beijo carinhoso ao acordar, um abraço ao retornar, uma lágrima na hora da partida. E então, coisas que nunca tiveram sentido algum fazem todo o sentido do mundo pra você.
Essa hora geralmente te surpreende, te pega desprevenido, pois, além de tudo, você deseja que ela chegue mas com a demora você desiste e começa a simplesmente andar entre a multidão de rostos e sorrisos, deixando de perceber as nuances da vida, os prazeres que somente você pode ter.
Esta hora não é um único momento de revelação onde você diz: Eu sou feliz; Esta, que deveria ser a única hora insuspeitável, é na verdade, um conjunto de momentos que culminam em um único pensamento, um único questionamento: Porque não ser feliz?

R.G.Pfarrius

sexta-feira, maio 02, 2008

Eu te amo... não diz tudo


Ando meio sentimental demais, talvez seja a distância, ou o tempo que está chuvoso. O que interessa realmente é que nem sempre as coisas são como a gente imagina ou quer, ela simplesmente acontecem, e sempre do geito mais mirabolante possível, mas infelismente, nem sempre elas tiram você do estado de apatia em que vive. Vamos acordar para a vida, vamos viver intensamente, e acima de tudo, vamos amar a quem nos ama, incondicionalmente.

EU TE AMO... NÃO DIZ TUDO!


Você sabe que é amado(a) porque lhe disseram isso?
A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras.
Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida,

Que zela pela sua felicidade,
Que se preocupa quando as coisas não estão dando certo,
Que se coloca a postos para ouvir suas dúvidas,
E que dá uma sacudida em você quando for preciso.
Ser amado é ver que ele(a) lembra de coisas que você contou dois anos atrás,

É ver como ele(a) fica triste quando você está triste,
E como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d'água.

Sente-se amado aquele que não vê transformada a mágoa em munição na hora da discussão.
Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente inteiro.
Aquele que sabe que tudo pode ser dito e compreendido.
Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é,
Sem inventar um personagem para a relação,
Pois personagem nenhum se sustenta muito tempo.

Sente-se amado quem não ofega, mas suspira;
Quem não levanta a voz, mas fala;
Quem não concorda, mas escuta.

Agora, sente-se e escute: Eu te amo não diz tudo!

"Para conquistarmos algo na vida não é necessário, apenas, força ou talento; é preciso, acima de tudo, ter vivido um grande amor"

Arnaldo Jabour

quarta-feira, abril 30, 2008

Falar de amor


Não vim aqui falar de amor, pois é um sentimento batido, destituido de particularidade, todo mundo sente isso, já passou essa moda de sentimentos compartilhados. Quero um sentimento só meu, que só eu possa dar, ou recusar. Nada diferente do amor, mas com um novo nome, roupa nova... "new estile".
Não vim aqui falar de amor - desses que se vê nos filmes - mas mesmo assim, eu o sinto, em toda a sua velhacaria de dor e saudade, essa velha maneira de pegar os outros pelo coração. Mania mais boba de se amar, se entregando na mão do outro, sem medos nem vendas, sem salva-guardas.
Quero esse sentimento novo, que não pergunta o quanto, o tempo, o onde, só o agora! E nada mais!

R.G.Pfarrius

quinta-feira, abril 24, 2008

Saudade


Gostaria, sinceramente, de saber o que as pessoas sentem quando estão longe de quem amam. Talvez assim, eu entendesse meu próprio coração e o que nesse momento ele pede.
A cama parece tão grande agora, como um estádio de futebol vazio, sem gritos, sem bandeiras, nem apitos. Os dias passam longos e passo eles distante, pensando. Penso escutar me chamar, penso gritarem meu nome, mas é ilusão, pura e simplesmente ilusão! Não é que sinto falta mesmo? De tudo, até mesmo das brigas, pois, fazer as pazes é melhor ainda, sempre. Brigamos porque amamos, nos importamos, e mesmo assim, durante o acaloramento, sentimos que o amor é maior e quando termina tudo fica calmo.
Mais uma vez eu me pergunto: O que se sente quando o amor não está presente? Será que esse sentimento doloso de saudade, essa saudade grudenta que não me larga, não me solta, será que isso não passa?
Na realidade, se é isso que se sente, esse misto de inquietação e dor que rasga o peito, que dilacera a alma e deixa alquebrada toda a paz de espírito, eu não quero mais sentir isso, quero estar com ela, quero ter ela nos meus braços, acalentar seu choro, sorrir com ela, pensar nela, ficar com ela... ela...ela... ela... e só ela.

R.G.Pfarrius

quarta-feira, abril 16, 2008

Solitude

Solitude

Solidão não é pra dois
não foi feita para que se divida,
é algo mesquinho, que só uma pessoa sente.

R. G. Pfarrius

Preciso de um tempo

Preciso de um tempo

Preciso de um tempo para me encontrar,
pois me perdi nessa imensidão de horas,
passaram tantas que deixei de contar
Olhava para o relógio e ouvia seu matraquear
tics e tacs incessantes e estrondosos que não me deixavam;

Preciso de um tempo para dar um tempo,
pensar no tempo
que por mais plácido, não deixou de passar,
de correr, voar;

Preciso de um tempo,
por menor que seja
mais insignificante que pareça
para que minhas pernas bambas afirmem novamente
e meus olhos cansados consigam mais uma vez
ver as cores do arco-íris.

R. G. Pfarrius

terça-feira, abril 15, 2008

Finalmente!


E então, depois de muito querer, não é que consigo publicar uma poesia? Esta maravilha aconteceu graças à Câmara Brasileira dos Jovens Escritores, e é dia 20 de maio o lançamento. Orgulho é um sentimento bobo, mas mesmo assim to muito orgulhoso disso. Parabéns para nós dois Ana!!
E ficamos na espectativa, pois, no fim do ano, publicação do meu primeiro livro de Poesias. " Rosa Impetuosa ".

EU ESCREVI UM POEMA TRISTE













É difícil perceber essa magnitude estranha que vem desse rosto, mas ao se deparar com a mente inigualável deste gênio, temos certeza, ele sim é imortal! O tempo é só o tempo, e passa somente para aqueles que não olham pro céu!

EU ESCREVI UM POEMA TRISTE

Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza...
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel...
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves...
E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!

Mario Quintana - A Cor do Invisível

terça-feira, abril 08, 2008

Não Pise Na Grama


Não pise na Grama

Placa inútil e amarela:
"Não pise na grama."
Amarela
pela ausência de girassóis.
Inútil
porque não tenho os pés no chão.


Fabio Rocha

quinta-feira, abril 03, 2008

Versinho di'lua




















Versinho Di'lua

De acordo com o Sol
[Sou branco demais

Mas a verdadeira questão
é que eu tenho a cor da lua.

Há momentos na vida em que tudo parece deixar de fazer sentido, e é nessas horas que vemos a força do amor e da amizade das pessoas...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...